Perguntas e respostas mais frequentes sobre a Constelação Familiar

Uma única sessão resolve?

A Constelação Familiar é uma nova terapia e não se apóia no filtro mental ou do cérebro do cliente nem do terapeuta.  Ela abrange um campo muito mais extenso, promovendo a expansão da consciência. Quando a pessoa está presente na sessão, muitas partes são integradas automaticamente.

Uma única sessão Presencial em Grupo pode promover uma grande mudança nos relacionamentos, tornando a vida do cliente mais leve. Retornando ao dia a dia, é natural o desejo de expansão e melhoria, portanto outras sessões podem ser necessárias.

Os atendimentos também podem ser Individuais Presenciais ou Online.

Qual tipo de Atendimento devo fazer?

Se estiver no Rio de Janeiro, é preferível fazer o primeiro atendimento de forma individual. Neste Atendimento, juntos veremos a necessidade do atendimento semanal individual ou esporádico em grupo.

Se você estiver fora da cidade do Rio de Janeiro, faça Online. Você precisará de um local privativo, computador com Google Chrome, câmera e microfone. No tablet o programa não funciona ainda, pois é um aplicativo de origem alemã com ferramentas necessárias ao trabalho.

A sessão em grupo é para quem tem alguma familiaridade com o processo de Constelação Familiar. É ideal para quem se sente à vontade com os demais participantes desconhecidos ou para quem deseja se beneficiar da energia no trabalho como Representante. Também para quem está em tratamento com psicólogo ou psiquiatra e o profissional indicou a necessidade de fazer uma Constelação Familiar.

Todas as pessoas podem participar de um Grupo desde que previamente agendadas.

Qual a duração da sessão?

Atendimento Individual Presencial com Bonecos:
Duração de uma hora aproximadamente

Atendimento Individual Online:
Duração de no máximo uma hora

A vivência em Grupo de Constelação Familiar geralmente é realizada nas manhãs de sábado e dura quatro horas. As constelações são divididas entre meditação, apresentação do conceito e dos participantes, Constelação de dois ou três clientes agendados e encerramento.

Todas as informações presenciadas devem ser respeitosamente guardadas sem divulgação. O trabalho continua atuando no campo energético de todos os participantes, mesmo após o trabalho ser finalizado.

Qual o período que devo ficar fazendo os atendimentos?

A Constelação Familiar é uma abordagem bastante inovadora. Desta forma, o trabalho é bastante específico e promove a expansão da consciência de quem se expõe a ele. O período depende do desejo do paciente em se aprofundar no próprio autoconhecimento.

Todo o trabalho é desenvolvido de forma inédita em cada sessão dependendo do que o campo do cliente apresenta naquele momento. Portanto o período pode variar de algumas semanas a muitos meses. O próprio paciente sente maior clareza no caminho recém descoberto.

Participar das vivencias em grupo como Representante deve ser constante. É uma forma simples de ter muitas questões solucionadas com baixo investimento de tempo e valores.

Você faz atendimento de casal?

Sim. O Atendimento de casal esclarece as forças que atuam provocando desarmonia na relação e o respeito entre os participantes é reforçado. O vínculo pode ser reforçado ou esvanecido. Geralmente os primeiros atendimentos são individuais e posteriormente o casal comparece. Mas se houver um vínculo forte o casal pode comparecer desde o primeiro atendimento.

Posso fazer Constelação Profissional?

Sim. A Constelação é um método terapêutico que apresenta muito bons resultados para profissionais que tenham que tomar importantes decisões em suas carreiras. As diversas forças que atuam em uma empresa e fora dela são facilmente identificadas e conduzidas para uma boa solução.

Existe alguma ligação da Constelação Familiar com alguma linha religiosa ou espiritualista?

Não. A Constelação Familiar não está ligada a nenhuma linha religiosa ou espiritualista. Não existe qualquer doutrina envolvida, e sim uma observação fenomenológica do campo morfogenético.

A teoria dos campos é amplamente estudada pelo bioquímico Rupert Sheldrake. O pesquisador da Universidade Cambridge, da Inglaterra, estuda habilidades humanas e animais não explicadas.

Quais problemas ou sintomas posso trabalhar com a Constelação Sistêmica?

Qualquer questão que o incomode pode ser exposto à luz da Constelação Familiar. Embora os tratamentos médicos, psiquiátricos ou psicológicos devam ser continuados até que haja orientação deste profissional para o seu encerramento. A terapeuta de Constelação Familiar não tem qualquer ingerência em outros métodos de tratamento que o cliente esteja utilizando.

A Constelação Familiar é indicada por muitos psiquiatras e psicólogos. Em algum assunto específico onde não esteja havendo progresso através dos métodos tradicionais de tratamento, a Constelação traz um novo enfoque para auxílio do cliente.

Qual a mudança efetiva e quais os resultados a Constelação Familiar propicia?

O cliente que se expõe ao método da Constelação Familiar passa a ter uma profunda reverencia pela própria vida, pelos pais e antepassados. Pois essas forças são reveladas de modo muito palpável.

Os julgamentos tendem a diminuir ao presenciar as diversas energias que contribuem na formação de cada ser. A mudança que ocorre é a integração de forças antes excluídas, a energia para a ação e o não-julgamento.

Qual a diferença de Constelação Familiar e Constelação Sistêmica?

Sendo a família um sistema, assim como qualquer grupo forma um sistema, a Constelação Familiar e a Constelação Sistêmica são o mesmo. Alguns consteladores chamam inclusive de Constelação Familiar Sistêmica, o que podemos considerar uma redundância.

A diferença na abordagem depende da formação e sensibilidade de cada terapeuta.

Qual o embasamento teórico da Constelação Familiar?

A terapia sistêmica vem sido desenvolvida desde o início do século 20 por Virginia Satir e outros pesquisadores nos EUA e Alemanha. Essa abordagem considera que o indivíduo não está sozinho com seus problemas. É apenas parte de uma rede, onde todos que pertencem àquela família ou àquele grupo estão interligados. No indivíduo pode emergir a compensação de todo o sistema familiar ou grupal quando houve no passado alguma exclusão.

Bert Hellinger, a partir da observação dos campos morfogenéticos, mostra as leis universais que regem as relações humanas. São elas: Lei do Pertencimento, da Hierarquia e do Equilíbrio entre o Dar e Receber. Nos últimos trinta anos, vários de seus colaboradores, tais como Gunthard Weber, Jakob Schneider, Sieglinde Schneider, Brigitte Gross, Lorenz Wiest, Marlies Wiest, Joachim Vieregge, estão divulgando as “Ordens do Amor”.